×
[Vídeo] Entrevista com Daniel Castanho, Presidente da Ânima Educação:
Introdução
Inscreva-se
Cresça com Alana

[Vídeo] Entrevista com Daniel Castanho, Presidente da Ânima Educação

A educação é um setor de extrema importância para o desenvolvimento da sociedade, e seu modelo tradicional, baseado nas décadas de 60, 70 e 80…

Tempo de leitura: 5 min

A educação é um setor de extrema importância para o desenvolvimento da sociedade, e seu modelo tradicional, baseado nas décadas de 60, 70 e 80 já não cabe na realidade que vivemos. É necessário inovar, e a pandemia Covid-19 provou que é possível transformar a educação através da experiência digital.

Algumas organizações já estão implementando modelos de negócios digitais que possivelmente serão adotados de maneira permanente.

Nesta websérie, Patrícia Meirelles, embaixadora da Alana AI, conversou com líderes de alguns setores para entender como a inovação impacta a experiência dos consumidores.

O primeiro convidado é Daniel Castanho, presidente do conselho da Ânima Educação, e um apaixonado por mudar o país através da educação. Há 15 anos liderando iniciativas na Ânima, ele enfrentou no início da pandemia o desafio de transformar o ensino de mais de 100 mil alunos presenciais para o online.

Confira como a tecnologia está mudando o atendimento — e experiência — na área da educação.

Aulas on-line são fundamentais para engajar alunos

No cenário mundial atual o ensino à distância (EaD) tornou-se indispensável e mostrou que pode ser implementado com sucesso.

Para Daniel, o futuro será híbrido e, ao invés de EaD versus presencial, existirá um conceito de omni learning, onde você pode assistir de casa uma aula que esteja acontecendo presencialmente na universidade, por exemplo.

Além de aulas à distância, é possível incluir diversas tecnologias, como a inteligência artificial, para ser uma auxiliar de correção de provas e de análise do desempenho dos alunos, ou até mesmo incorporar ao decorrer da aula uma simples chamada de vídeo com especialistas em determinados assuntos.

O digital também é extremamente importante para o conceito de Lifelong learning, como comentamos no episódio AI & Humanos pela Educação, da segunda temporada do Inside Alana Podcast.

Mudanças nas plataformas educacionais omnichannel

Antigamente, o principal modelo de negócio do setor da educação era a entrega de conteúdo, e assim grandes grupos cresceram através da criação e venda de apostilas. Em suma, a informação acadêmica ficava condensada nesses materiais.

Hoje em dia tudo está disponível online, qualquer pessoa pode procurar na internet e ler sobre determinado assunto.

Por outro lado, a presença de um professor como alguém que transforma informações em conhecimento é essencial. Por esse motivo tem se tornado comum a inovação nos métodos de ensino, para fazer com que o aluno seja protagonista e o professor um mediador.

Daniel explicou que antes o objetivo antigamente era entregar conteúdo, e hoje a escola tende a ser um local que gera uma experiência e ajuda na formação de habilidades pessoais.

Atendimento humanizado e automatizado

Assim como em outros setores, o atendimento na educação precisa ser cuidadoso e empático, e muitas empresas do setor usam automação para facilitar o volume de suporte e vendas de novos cursos.

É essencial que haja um equilíbrio, então algumas tarefas consideradas simples devem ser automatizadas, para que as pessoas fiquem engajadas em outros tipos de projetos.

Na educação, a própria aula é como se fosse um atendimento, pois aquele momento é um serviço que está sendo oferecido ao aluno, e a tecnologia como um todo consegue maximizar o papel do professor.

Daniel acredita que o professor e a tecnologia se somam e se agregam, e afirma a importância da presença do humano para garantir questionamentos, cuidado e atenção com os alunos.

Neste novo cenário, todas as atividades que puderem ser substituídas por automação devem ser, para que assim os humanos possam assumir novas posições, mais estratégicas.