close

Insider

Guia Prático de Gestão do Trabalho Remoto

Written by Alana Team
on Julho 20, 2020

A cultura de trabalho remoto se tornou comum devido à COVID-19, mas a verdade é que essa é uma maneira muito atrativa tanto para funcionários, quanto para os cofres das empresas. A AETNA e a American Express, por exemplo, são empresas que afirmam terem reduzido gastos imobiliários depois de implementar programas de home office.

Além disso, os números provam que muitas pessoas têm essa vontade de trabalhar de casa. De acordo com uma pesquisa da Global Workplace Analytics, o home office aumentou em 173% nos últimos 15 anos.

E como se adaptar ao modelo de gestão de time remoto e criar uma equipe de alto desempenho? Esse é o maior desafio! Os gestores precisam estar mais preparados do que nunca para garantir o sucesso.

Confira como gerir uma equipe remota, desde a contratação até uma possível demissão.

Contratação de funcionários remotos

Você vai notar que a base de quase tudo é a organização, e como o processo de recrutamento e admissão pode ser algo burocrático e trabalhoso, o primeiro passo para o sucesso é ter um fluxo predefinido. 

Pontos que devem ser considerados:

 

O perfil de um trabalhador remoto

O trabalho remoto não é ideal para todo mundo. Algumas pessoas ainda preferem a tradicional ida ao escritório, ou não estão preparados profissionalmente para o desafio de trabalhar de casa.

Isso torna crucial entender quais são as habilidades vitais para um colaborador remoto da sua empresa. Uma boa maneira de descobrir, é mapeando as características de pessoas com alto desempenho.

Naturalmente, há algumas habilidades que todo profissional remoto de alta performance tem, como a capacidade de independência e autonomia para realizar atividades, a concentração e a disciplina. Além, claro, de serem pessoas transparentes e confiáveis.

 

Descrição da vaga

Já que todo o processo é realizado online, a descrição é essencial para atrair os melhores talentos. 

Ela pode ser escrita tanto pelo recrutador responsável ou pelo gestor da área. Vale a pena marcar um bate-papo entre os dois para definir o máximo possível de detalhes em relação ao trabalho remoto que será realizado.

Evite adicionar informações genéricas, crie algo atrativo e informativo. Inclusive, é aconselhável escrever sobre a cultura da empresa e expectativas iniciais.

 

Onde encontrar candidatos

Para encontrar as melhores pessoas, a empresa tem que entender quais canais de recrutamento fazem sentido. Qual o perfil do candidato? É de tecnologia ou de negócios? 

Em geral, a divulgação da vaga pode ser feita em canais oficiais de recrutamento, como Glassdoor ou Linkedin, mas há diversas outras maneiras de atingir talentos online:

  • Sites especializados para freelancers, como Fiverr e Upwork;
  • Blog da empresa;
  • Redes Sociais (Twitter, Instagram, Facebook, etc..);
  • Redes Sociais especializadas, como GitHub para desenvolvedores e Behance para designers;
  • Indicação de colaboradores.

De acordo com um relatório sobre freelancing nos Estados Unidos, 59% dos entrevistados que não são freelancers, disseram que gostariam de ser no futuro. 

Esse dado é interessante, pois assim como eu, que faço parte do Team Alana, e trabalho totalmente remoto, muitas outras pessoas desejam encontrar no home office a tranquilidade que tanto buscam.

 

Quem deve participar do processo

O processo de recrutamento é geralmente desenvolvido pela equipe de recursos humanos em conjunto com um líder da área. 

Antes de iniciar qualquer contato por telefone, faça uma pré-seleção escrita, e defina critérios para escolher quem passará para fase de entrevistas. Isso tudo pode ser controlado através de softwares de recrutamento.

Se necessário, convide um colaborador sênior, além do líder da área. A opinião de uma terceira pessoa pode fazer a diferença em caso de dúvidas.

 

Modelos de contratação

O modelo de contratação deve ser definido logo no início, quando a vaga é aberta, e tem que ser mencionado na descrição divulgada. É importante ser transparente sobre esse ponto para que a pessoa tenha clareza sobre quais são seus direitos e deveres. 

O time de recursos humanos com certeza pode ajudar nessa definição, e também na criação de um fluxo para cada modelo de trabalho remoto, já que a burocracia de cada tipo de admissão é diferente.

Na Alana AI, 60% dos funcionários já trabalhava remotamente em tempo integral, e com a crise COVID-19, 100% da empresa aderiu ao home office. Com isso, nasceu a iniciativa de suporte à saúde mental durante este período e qualidade de trabalho em casa.

 

Onboarding virtual para time remoto

O contato inicial com a nova empresa é fator chave de sucesso para o desenvolvimento de um colaborador remoto. O onboarding impacta diretamente no conhecimento e estimula a satisfação de quem está começando.

Essencialmente, o treinamento inicial de um funcionário remoto deve mostrar a história da empresa, cultura, valores, missão, modelo de negócio, estrutura e metas.

Como?

  • Realização semanal de sessões online de capacitação, ou conforme o volume de contratações. Essas conversas podem ser abertas aos trabalhadores atuais, caso queiram reforçar algum conhecimento;
  • Conversa individual para debater metas e mostrar abertura para ajudar. Elas podem ser feitas toda semana durante o primeiro mês;
  • Eleger uma pessoa do time para ser o ponto de referência do novo contratado durante um determinado período.

 

Cultura de trabalho remoto

Criar uma cultura forte através de um gestão remota pode ser um desafio e tanto, mas se a empresa capacitar os líderes e oferecer as ferramentas necessárias, é possível cultivar algo de sucesso.

O primeiro passo é entender que tipo de cultura de serviço remoto será construída: quais as principais regras de trabalho, tipos de comportamento adequados, fluxo de comunicação interna, modelo de liderança, etc.

A partir disso, crie ações para fomentar o crescimento da cultura de trabalho remoto. Algumas sugestões:

  • Definir um modelo de gestão de tarefas e tempo;
  • Uso de salas de chat para manter a comunicação aberta com o time, como se estivessem todos juntos presencialmente. Ferramentas desse tipo podem ser usadas também para descontração e integração de pessoas de diferentes áreas;
  • Enviar um kit de boas vindas para o novo trabalhador remoto e, se possível, oferecer algo para tornar o home office mais aconchegante (descanso para os pés, cadeira, planner, fone de ouvido).

 

Team Building para equipe remota

Boa parte da gestão de time remoto é garantir que as pessoas sintam-se parte da equipe, mesmo não estando em uma sala cheia de pessoas. Buscar aprender boas práticas de liderança pode ser um caminho para estimular a criatividade nesse sentido. 

A maneira mais lógica — e prática — de unir um time remoto é através de ferramentas de chat online, como o Google Meet ou Zoom. Os encontros de construção de time podem ser mensais ou trimestrais, conforme forem necessários.

Atividades que podem ser realizadas para estimular a união do time de trabalho remoto:

  • Faça uma pausa coletiva para comer ou beber algo durante uma longa reunião;
  • Marque uma partida online de UNO, ou qualquer outro jogo interessante para o time;
  • Abra espaço para perguntas durante uma chamada;
  • Envie desafios para serem resolvidos em grupo dentro de um determinado tempo;
  • Crie premiações conjuntas (exemplo: o melhor colaborador do mês pode escolher alguém do time, que tenha feito a diferença em seu trabalho, para ser premiado).

Por outro lado, não podemos desconsiderar o peso que o contato presencial tem, então vale avaliar a possibilidade de encontros anuais com toda a empresa, ou entre pessoas que residem na mesma região.

 

Como fazer um desligamento remoto?

O ato de desligar alguém da empresa pode ser desconfortável. Para amenizar o impacto, o gestor deve ter clareza sobre os motivos e se preparar previamente para a conversa.

Pontos importantes para a preparação:

  • Verificar o modelo de contratação e possíveis acertos financeiros. Se contratado via plataformas de freelancer, como Upwork e Fiverr, confirme se a política da empresa permite que o profissional possa, ou não, divulgar a prestação de serviços;
  • Listar pontos positivos para não ser uma conversa 100% negativa;
  • Ter anotações sobre as expectativas iniciais para debater com a pessoa, caso necessário;
  • Definir perguntas para fazer ao colaborador, pois o feedback é importante para entender se houve falha na gestão remota e no desenvolvimento da pessoa enquanto colaboradora;
  • Conversar com o RH para pegar dicas sobre como agir e agendar para que alguém participe da reunião também. O objetivo de ter mais de uma pessoa é garantir que não haja falha na comunicação.

Ao marcar a conversa com o colaborador remoto, não adicione a pessoa do RH que irá participar, pois pode gerar tensão desnecessária. Se possível, não marque nada, apenas convide a pessoa para conversar assim que estiver com tudo preparado para realizar o desligamento.

A gestão de time remoto pode soar complicada no começo, mas conforme os processos vão sendo definidos e colocados em prática, tudo flui com mais facilidade. O tempo e a disciplina ajudam na adaptação e aprendizado sobre como liderar uma equipe remota.

 

personagens escrevendo

 



assinatura_teamalana

 

Você também pode gostar:

Insider

Cubo, 100 Startups to Watch e mais: as conquistas da Alana AI no terceiro tri

O terceiro trimestre de 2020 acabou e a Alana AI tem muito a celebrar. Os meses passaram voando, e estamos orgulhosos em...

Insider

GPT-3 e a inovação em processamento de linguagem natural (NLP)

Parte da evolução da inteligência artificial tem a ver com inovações no campo de processamento de linguagem natural, áre...

Insider

[Podcast] Inteligência Artificial & Humanos pela Saúde

Você já pensou que tecnologias de inteligência artificial para saúde já estão no cotidiano de muitas pessoas? Produtos q...

Receba insights sobre
Inteligência Artificial por e-mail,
na medida certa.