close

Insider

Alan Turing: quem foi e o que ensinou sobre Inteligência Artificial

Written by Alana Team
on Julho 10, 2020

Alan Turing foi um cara inigualável. Apesar de ter morrido jovem, aos 41 anos, deixou um legado positivo para a sociedade e para a ciência.

Muitos conhecem o matemático por causa de sua notável contribuição para a computação, já que ele foi o primeiro a questionar se as máquinas poderiam pensar, mas você sabe quem foi Alan Turing: o herói de guerra?

Ele fez parte do grupo de trabalho da organização de quebra de códigos britânica durante a Segunda Guerra Mundial. Junto com outros matemáticos, ele descobriu a localização das tropas nazistas no dia 6 de Junho de 1944, ocasionando o dia D.

Para o campo da inteligência artificial, ele é o pioneiro da teoria, e segue inspirando estudiosos ao redor do mundo na busca pela AI Forte (tema abordado no primeiro episódio do Inside Alana Podcast).

Ouça quando quiser no Spotify ou na plataforma de sua preferência em: https://bit.ly/3ic3GvM

A Máquina de Alan Turing

Na década de 1930, Alan criou um dispositivo que conseguia escrever e interpretar alguns símbolos numéricos. Essa máquina foi criada antes mesmo de o termo “inteligência artificial” ser cunhado, o que aconteceu em 1956, por John McCarthy, outro estudioso do ramo.

Na época, ele não imaginava o que estava desbravando, e hoje todos ficam curiosos para saber como funcionava a máquina de Alan Turing

Sua ideia era ter um dispositivo que manipula símbolos de acordo com uma série de regras, ou seja, ele já imaginava algo como os computadores de hoje em dia.

Ao mesmo tempo, o matemático começou a pensar em uma maneira de testar o nível de inteligência de uma máquina e a capacidade de imitar o cérebro humano. Assim surgiu o Teste de Turing, baseado em uma competição chamada “o jogo da imitação”.

 

O Jogo da Imitação

O teste de Turing foi mencionado a primeira vez em um estudo de 1950, do próprio matemático, onde ele questionou se um computador seria capaz de enganar um terço dos jogadores.

O jogo segue as seguintes regras:

  • 3 jogadores denominados de A, B e C
  • Eles se comunicam apenas com mensagens escritas
  • O jogador C não consegue ver os outros dois e deve descobrir quem é o homem e quem é a mulher
  • O jogador A é um homem e deve confundir o jogador C para levá-lo ao erro
  • O jogador B é uma mulher e deve induzir o jogador C ao acerto

Na proposta de Turing, o jogador A é substituído por um computador para determinar o sucesso da máquina em comparação aos resultados do homem. 

A premissa é que, se o computador tiver resultados positivos próximos aos do homem, pode-se dizer que o computador tem um determinado nível de inteligência. Essa teoria do Teste de Turing ainda é amplamente discutida e faz parte da área de filosofia da inteligência artificial.

Poster do filme O jogo da Imitação que conta a história de Alan Turing

A história de Turing inspirou o filme “O Jogo da Imitação” que, apesar do nome, não fala especificamente da trajetória do matemático na evolução da AI em si, e sim foca na relevante  participação de Alan na Segunda Guerra Mundial.

 

Alan Turing e a Máquina Enigma

Outra contribuição de Turing foi a criação de um sistema de tradução de textos encriptados.

O objetivo do sistema era decifrar as mensagens criptografadas pela máquina Enigma, que era usada durante a Guerra, pelos Alemães, para impedir que os Ingleses entendessem a comunicação.

A máquina criada pelo time que Turing fazia parte foi chamada de Bombe, e agia da seguinte maneira para quebrar a criptografia:

  1. Captação e identificação de sinais
  2. Definição de padrão de lógica para interpretação
  3. Seleção de informações contraditórias 
  4. Geração de mensagens 

Essa não foi a primeira máquina do tipo, mas foi um trabalho relevante de Turing, que o aproximou ainda mais do estudo sobre computadores.

 

Evolução da Inteligência Artificial

A AI evoluiu muito desde os primeiros pensamentos de Alan Turing sobre a possibilidade de criar uma máquina que pensasse como um humano, mas ainda não temos esse dispositivo.

Por outro lado, provando mais uma vez ser alguém muito à frente de seu tempo, Alan também já visualizava a necessidade de entender padrões biológicos para aplicar no desenvolvimento de inteligências artificiais. E ele estava certo!

Ele mencionou, em um de seus últimos artigos, a morfogênese, uma área da biologia matemática que estuda padrões de desenvolvimento dos seres vivos. Na época, ele não imaginava que o estudo da biologia avançaria e que seria comum hoje em dia o uso de técnicas inspiradas na teoria da evolução e da neuroanatomia (dois ramos da biologia).

Turing foi um gênio, e sempre que falamos em inteligência artificial, temos que falar dele.

 

personagens escrevendo

 



assinatura_teamalana

 

Você também pode gostar:

Insider

[Podcast] Os desafios da inteligência artificial na comunicação

Para muitos, a inteligência artificial só existe em filmes ou em teorias de conspiração sobre o fim do mundo. Apesar de ...

Insider

Alana AI expande atuação na América Latina

Fundada em 2015, a Alana AI está abrindo escritórios no México e em Porto Rico. Hoje, a empresa de inteligência artifici...

Insider

[Vídeo] O que muda com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD)?

Você sabia que a Lei Geral de Proteção de Dados foi sancionada em Setembro deste ano e passará a valer a partir do últim...

Receba insights sobre
Inteligência Artificial por e-mail,
na medida certa.